Sexta, 31 Julho 2020 13:08

Médico é o primeiro a testar vacina contra COVID-19 em BH

Escrito por

André Ribeiro, jovem médico de 30 anos, é o primeiro voluntário de Belo Horizonte a receber a CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan. "É uma boa oportunidade e momento memorável para a Medicina", disse o profissional, que atua no Centro de Saúde Jardim Montanhês, local em que o imunizante será aplicado nesta sexta-feira, entre 8h e 17h.

Apressado, o médico chegou à Unidade Básica de Saúde (UBS) por volta de 8h40. A equipe do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFMG, que coordena os testes na capital, estava de prontidão desde 7h. Fotos, vídeos e entrevistas não são permitidas nas proximidades do módulo montado para os testes de imunização. O coordenador do experimento, professor 
Mauro Teixeira, dará detalhes sobre os procedimentos logo mais, às 15h. 

O sinal verde para os testes foi dado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no dia 3 de julho. Desde então, foram iniciados os trâmites para que fosse feito o recrutamento de 9 mil voluntários nos 12 centros de pesquisa pelo país, incluindo a UFMG. Os estudos em Minas contarão com a participação de 852 pessoas da área da saúde que estão atuando na linha de frente do combate à COVID-19.

Caso a vacina apresente eficácia, o processo de registro das doses junto à Anvisa será iniciado. Já há um acordo entre o Butantan e a Sinovac para a disponibilização de
 60 milhões de unidades do medicamento, que serão produzidos na China, com previsão de conclusão em setembro. Quando todos os trâmites forem concluídos com o órgão regulador, as substâncias serão enviadas ao Brasil.

A partir daí, a distribuição e a definição do público-alvo da campanha de vacinação no Brasil ficariam por conta do Programa Nacional de Imunização, do Ministério da Saúde. Além dessas 60 milhões de doses importadas, o Instituto Butantan deve produzir 100 milhões. Porém, isso exigirá uma adaptação que pode levar até 10 meses. A expectativa é que a vacina comece a ser aplicada em 2021, caso tudo ocorra dentro do previsto.

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press

Fonte: Estado de Minas

 

medicovacinado.jpeg
                        André Ribeiro (de azul) foi o primeiro voluntário a receber a vacina contra COVID-19 em BH

Informações adicionais

  • Cidade: Além Paraíba - MG