Sábado, 28 Agosto 2021 15:59

Prefeitura, HSS e Câmara: conheça o enredo dessa trama

Escrito por
Prefeitura, HSS e Câmara: conheça o enredo dessa trama

10 de agosto. Realização da Conferência Municipal de Saúde. Última foto dos irmãos Bethânia e Miguelzinho juntos. 

Além Paraíba tem vivido, nos últimos dias, um enredo político digno de séries de TV famosas como “Dallas”, em que a fictícia família Ewing digladia entre si, na luta pelo poder.

No caso, a “guerra” está acontecendo entre os irmãos herdeiros do legado político do patriarca Dr. Miguel Belmiro, falecido ex-prefeito de Além Paraíba e um dos mais emblemáticos provedores do Hospital São Salvador. A instituição, que foi o pomo das discórdias políticas do passado, hoje, voltou a ser centro das disputas desta vez entre os irmãos aliados Miguelzinho Belmiro (atual prefeito do município) e o médico Alexandre Reis, contra Bethânia Reis de Souza- Secretária Municipal de Saúde até a madrugada do último domingo, 22 de agosto, quando foi exonerada pelo seu próprio irmão prefeito, via redes sociais, na calada da madrugada.

Tudo começou há cerca de 30 dias quando a família reuniu-se na casa da matriarca, Marisa Reis de Souza, para comunicar à então secretária de saúde, Bethânia, sobre o posicionamento político da família em lançar, como candidato, à provedoria e direção geral do Hospital São Salvador, o filho médico, Dr. Alexandre Reis de Souza. Acontece que Bethânia tem profundos laços afetivos e profissionais com o Hospital São Salvador, seja pela memória do seu pai Miguel, seja por sua amizade e lealdade ao ex-marido, Dr. Rafael Graciolli, provedor do HSS desde 2012, reeleito por cinco mandatos consecutivos e com disposição para concorrer no próximo ano ao sexto mandato.

Durante os quase dez anos em que Rafael Boubèe Gracioli esteve à frente do Hospital São Salvador, ele teve ao seu lado, atuando na Administração, a ex-esposa, Bethânia Reis de Souza. A dupla manteve uma conduta voltada a recuperar as finanças do HSS, fazendo também diversas melhorias internas na sede do Hospital. Os elogios vieram rapidamente, pelo importante trabalho realizado, exaltado também graças à política de publicidade da direção do Hospital com apoio do radialista e jornalista Dauro Machado em seu programa na Rádio Cultura. Entretanto, junto com os elogios, também surgiram críticas apontando "o autoritarismo e a arrogância" da direção do HSS que, ano após ano, tornou a antiga instituição filantrópica em uma empresa de características privadas, como se a mesma tivesse “um único dono”, com o provedor se perpetuando no cargo, sem que houvesse alternância de poder.

O radialista Dauro Machado sendo vacinado contra a Covid pela então Secretária Bethânia Reis na residência dos Belmiros. Um recente registro de uma amizade que azedou. No processo da disputa pela direção do hospital, Dauro traiu a confiança da "irmã de alma". Ela o destratou publicamente durante reunião do Conselho do Hospital. Aconteceu na quinta-feira, 12 de agosto.

As críticas de alguns médicos e usuários eram abafadas com a presença constante de Bethânia Reis e pseudo amigos nas redes sociais e também em alguns jornais e emissoras de rádio.

Em 2016, Miguelzinho Belmiro lançou-se candidato à prefeitura de Além Paraíba pela primeira vez. O apoio incondicional da irmã, Bethânia, foi fundamental na eleição. A política já não fazia mais parte de “perseguições” que teriam existido no passado contra o Hospital São Salvador por parte da Prefeitura. O Pronto-Atendimento, criado pelo ex-prefeito Sérgio Ribeiro, no bairro Jardim Paraíso, para desafogar o HSS, já estava fechado desde o governo Wolninho Freitas (2008/2012). Esse serviço de urgência e emergência retornou ao Hospital São Salvador, que voltou a ter verbas públicas municipais destinadas ao Pronto-Socorro. A subvenção mensal da PMAP ao HSS também engordou muito. O hospital foi o " cartão-postal" que ajudou na eleição e reeleição de Miguelzinho.

Tudo vinha correndo em paz até a chegada da pandemia do coronavírus. Verbas públicas estaduais e federais destinadas ao Hospital para o tratamento da Covid-19 recolocaram o HSS no foco das discussões políticas municipais. E as redes sociais, cada dia mais ativas, colaboraram para isso e fizeram com que um recente escândalo pessoal envolvendo a vida afetiva do provedor, Dr. Rafael Gracioli, fosse o estopim de denúncias que colocaram em dúvida até mesmo a formação profissional do médico no exercício da medicina e tratamento da Covid. As redes sociais assumiram o papel de julgar e condenar. Uma grande maioria da população não aceitou absurdos, como o que aconteceu no final de abril deste ano, envolvendo uma outra ex-mulher do Provedor Dr. Rafael. Inconformada por ter sido preterida por uma enfermeira mais jovem, a ex-esposa adentrou no Hospital em uma madrugada e fez um estardalhaço, agredindo violentamente a suposta rival. Falou-se, inclusive, que a ex-mulher teria quebrado a porta de vidro da UTI do HSS- o que não foi confirmado por nenhum dos envolvidos em seus depoimentos à polícia. O entrevero, que virou caso de polícia e processo em curso, teve enorme repercussão na cidade através de postagens nas redes sociais, as quais diziam que o médico "foi flagrado em pleno namoro com a jovem enfermeira, dentro da UTI", onde havia pacientes internados em estado grave por COVID-19. O mês de abril foi o de maior índice de óbitos por Covid no município.

4 de maio. Dias após o escândalo da invasão do HSS por sua ex-mulher.

O Dr. Rafael Graciolli concedeu uma entrevista exclusiva, no dia 04 de maio, ao Jornal AGORA (gravada pelo repórter Thiago Filgueiras, com o consentimento do médico). O provedor negou o flagrante sexual, disse que estava sozinho na UTI, e a enfermeira, com a qual havia tido um relacionamento de namoro após sua separação, estaria na farmácia do hospital com uma amiga- embora não fosse o dia de plantão da jovem. A ex-esposa viu o carro da enfermeira no estacionamento do hospital e tirou suas próprias conclusões. Aí foi estabelecida a enorme confusão, com a invasão das dependências do HSS, gritarias e agressões físicas durante a madrugada. O Dr. Rafael reconheceu a intempestividade de sua ex-mulher (com quem ele vem tentando resgatar a relação). Admitiu o fato da mesma ter invadido o Hospital por uma falha da recepção e da segurança do HSS. E tomou "providências".

Em decorrência do escândalo e dos desdobramentos do mesmo (denúncias de que o médico não poderia atender na área de pneumologia por falta de RQE) a Câmara Municipal de Além Paraíba deu início a uma série de questionamentos em relação ao Dr. Rafael Gracioli, inclusive solicitando dele o Registro de Qualificação de Especialista, emitido pelo Conselho de Medicina para que um médico possa atuar em determinada especialidade. No caso do Dr. Rafael, atuar como pneumologista. A essa altura da pandemia, o médico havia se transformado em referência regional no tratamento da doença COVID-19. Na ocasião, o Jornal AGORA ouviu o Dr. Rafael Graciolli e este explicou que o RQE é um certificado para profissionais que fazem a chamada "residência" de dois anos em um Hospital, depois da faculdade de medicina. Há, porém, inúmeros profissionais da área médica que, como ele, não têm "residência", mas fizeram cursos de pós-graduação, em nível de especialização, o que os libera para atuarem em determinadas especialidades, o caso dele que atua em pneumologia. Segundo o Dr. Rafael, toda documentação sobre sua formação profissional já foi entregue ao Ministério Público devido a algumas ações judiciais impetradas contra ele em função das denúncias feitas nas redes sociais.

Na noite de sexta-feira, 27 de agosto, o Presidente da Câmara Municipal de Além Paraíba, Mateus Cruz, fez uma postagem na rede socias oficial da Câmara, com as conclusões sobre as denúncias a respeito do Médico Rafael Gracioli.

À Câmara Municipal de Além Paraíba- conforme divulgado pela Presidência da Casa Legislativa- o médico se recusou a passar tais documentos. Em função das negativas, a Câmara acionou a sua Comissão de Saúde para analisar se o provedor do Hospital São Salvador estaria apto "a atender pacientes de Covid-19" não tendo ele o RQE para atuar como pneumologista. A conclusão foi apresentada nesta última semana de agosto. De acordo com o resultado das apurações do caso pela Comissão, o Dr. Rafael está, sim, apto para o atendimento de pacientes acometidos pela COVID-19, "por ser clínico geral'. A Câmara Municipal verificou junto aos planos de saúde que o Dr. Rafael, de fato, não possui o registro de especialista nas áreas em que atua (pneumologia e intensivismo). As apurações também concluíram que a ausência do RQE não impede o médico de fazer tais atendimentos.

O Dr. Rafael, por ter sido exposto negativamente, já anunciou que pretende processar a Câmara Municipal por tê-lo perseguido politicamente ("especialmente cinco vereadores"), sendo que, em Além Paraíba, "existem hoje 26 outros profissionais atendendo em diversas especialidades sem ter o RQE emitido pelo Conselho de Medicina". O provedor do hospital enumerou os 26 médicos sem o Registro. Vem nova polêmica por aí.

Todo esse mal-estar com vereadores da base do governo recaiu sobre o prefeito Miguelzinho que, pressionado por seu grupo político, resolveu assumir uma briga pública contra seu ex-cunhado, Dr. Rafael Graciolli.

Como já exposto anteriormente, a família Reis de Souza (tendo à frente D. Marisa, viúva do Dr. Miguel Belmiro), resolveu lançar o seu próprio candidato à Provedoria do Hospital São Salvador e anunciou a candidatura do médico Alexandre Reis de Souza para a direção do nosocômio. Levou-se em consideração, para isso, questões de caráter familiar e, obviamente, o futuro cenário da sucessão de Miguelzinho em 2024. O clã sabe da importância política do Hospital São Salvador para definir os resultados do processo eleitoral. Bethânia Reis de Souza teria sido a última a ser comunicada sobre as intenções do atual grupo político que governa Além Paraíba e se sentiu traída por pseudo-amigos que articularam a trama junto ao prefeito e à própria família. Ela reagiu muito mal à proposta, principalmente por lealdade ao ex-marido, Dr. Rafael. Mulher de temperamento forte, Bethânia foi fundamental na condução dos trabalhos de enfrentamento à COVID-19 no município de Além Paraíba . Esperava-se que ela, inclusive, fosse a candidata natural para suceder o irmão Miguelzinho nas próximas eleições municipais. Parece que os planos da família são outros. A ex-secretária de saúde, além de não aceitar apoiar o irmão, Dr. Alexandre para a Provedoria do hospital, reservou-se ao direito de não trair a confiança do Dr. Rafael Graciolli, que é o pai de seu único filho, um adolescente. Bethânia assumiu ficar ao lado do ex e começou, de forma discreta, a fazer uma campanha de desqualificação de seu irmão, Dr. Alexandre Reis para o cargo de provedor. Em decorrência desse comportamento, ela teria sido punida pelo irmão mais novo, o prefeito Miguel Belmiro de Souza Júnior (Miguelzinho).

Horas antes de exonerar a irmã Bethânia, o prefeito esteve reunido em sua casa com amigos, apoiadores políticos e o irmão, Dr. Alexandre (de bermuda estampada).

Na madrugada do último domingo, 22 de agosto, o prefeito tomou a decisão de demitir a própria irmã, exonerando-a, do cargo de Secretária de Saúde sem qualquer comunicado prévio. A nota da exoneração foi publicada na página oficial da prefeitura no Facebook, as 3h15min da madrugada. Bethânia acordou na manhã de domingo com o telefonema de uma amiga avisando-lhe da demissão, comunicada impessoalmente através de uma nota oficial em rede social. A ex-secretária confirmou esse fato, fazendo, também, uma postagem no Facebook, demonstrando surpresa e mágoa. O assunto teve grande repercussão e o apoio popular, com centenas de curtidas e comentários favoráveis ao trabalho por ela realizado durante a pandemia do coronavírus: pulso firme contra aglomerações, atendimentos sem discriminação, organização e aceleração das vacinas contra a Covid. Boa parte da população de Além Paraíba já está imunizada.

Conforme já foi relatado no início desta presente matéria jornalística, no decorrer desta semana as redes sociais da "Família 25" transformaram-se no que se chama “verdadeira lavação de roupa suja”. Acusações através de indiretas são postadas por ambos os lados, antes aliados, num festival de desrespeito à população de Além Paraíba, em um momento tão delicado, com um vírus mortal ameaçando toda a humanidade. É, no mínimo, uma insensibilidade.

Lidiane Cardoso, responsável pelas unidades de saúde dos PSFs, é a Secretária Interina de Saúde, até o dia 8 de setembro.

O prefeito Miguelzinho Belmiro já nomeou interinamente a enfermeira Lidiane Cardoso (funcionária pública) para assumir a pasta da saúde e também já anunciou que no dia 08 de setembro, o novo titular da Secretaria será o seu cunhado Cláudio Klein, marido da irmã mais velha, Caroline. O casal reside com seus dois filhos na cidade de Guarapari, no Estado do Espírito Santo, onde Cláudio Klein atua como dentista. Miguelzinho não encontrou, entre os profissionais de carreira da PMAP ou da área médica de Além Paraíba, nenhum profissional que pudesse assumir a tão cobiçada Secretaria de Saúde, através da qual são prestados serviços à população e muitos favores a vereadores amigos, que andam sempre às voltas com pedidos de prioridade para atendimentos e exames médicos para seus eleitores.

Sai a irmã e entra o cunhado de Guarapari. Cláudio Klein, ao centro, assumirá a Secretaria Municipal de Saúde no dia 8 de setembro. Na foto ele aparece ao centro, entre a sogra, D. Marisa Reis de Souza (viúva do falecido Dr. Miguel) e o cunhado e atual prefeito de Além Paraíba, Miguelzinho Belmiro

Bethânia Reis de Souza já foi convidada pelo provedor do Hospital São Salvador para voltar a atuar como administradora daquela instituição. Ambos têm se manifestado dizendo que seu projeto atual é "manter a política municipal longe do Hospital São Salvador, em cumprimento ao art. 41 do Estatuto do HSS". Porém, a se julgar pelas indiretas enviadas através das redes sociais pela família de Miguelzinho, os interesses seriam outros e "muitas verdades", inclusive referentes à real situação administrativa do HSS ainda estão por vir e surpreenderão.

Alexandre, que ao contrário dos seus irmãos não se expõe em redes sociais com questões pessoais e familiares, tem se portado como um cavalheiro.

O médico psiquiatra Dr. Alexandre Reis de Souza apresentou seu nome na última quinta-feira,19 de agosto, em assembleia, para fazer parte do Conselho do Hospital São Salvador e foi aceito. Ele confirma que será candidato à provedoria contra seu ex-cunhado, atual Provedor. Alexandre, que ao contrário dos seus irmãos não se expõe em redes sociais com questões pessoais e familiares, tem se portado como um cavalheiro, por enquanto não atiçando ainda mais as polêmicas. Mas ninguém duvida do que ainda está por vir. O processo de sucessão no Hospital São Salvador apenas começou. E só termina em março de 2022. Quem viver verá.

(Por: Marilia Rosestolato Muniz)

NOTA DA REDAÇÃO: ESTA MATÉRIA TEM POR BASE AS PUBLICAÇÕES FEITAS PELOS ENVOLVIDOS EM SUAS REDES SOCIAIS (COM PRINTS ARQUIVADOS); A HISTÓRIA POLÍTICA DA CIDADE (REPORTAGENS PASSADAS PUBLICADAS POR VÁRIOS JORNAIS LOCAIS); ENTREVISTA EM MAIO DE 2021 COM O DR. RAFAEL GRACIOLI (GRAVADA E ARQUIVADA); ÁUDIOS DA CÂMARA MUNICIPAL DE ALÉM PARAÍBA; CÓPIA ARQUIVADA DE DEPOIMENTOS POLICIAIS DOS ENVOLVIDOS E TESTEMUNHAS DA CONFUSÃO OCORRIDA NO HSS EM ABRIL DESTE ANO.

Informações adicionais

  • Cidade:Além Paraíba - MG