Imprimir esta página
Segunda, 30 Agosto 2021 20:54

Centro de Umbanda é atacado em Além Paraíba

Escrito por
Centro de Umbanda é atacado em Além Paraíba

Policiais Militares de Além Paraíba compareceram na noite de sexta-feira, 27 de agosto, na Rua Agenor Caetano, no bairro Morro do Cipó,  em atendimento ao chamado da  vítima, a Mãe de Santo Regelina de Jesus Barbosa.

Regelina informou aos policiais que um homem adentrou em sua residência, de posse de uma foice, destruindo o gongá com as imagens religiosas de seu terreiro de Umbanda, que fica em anexo à residência. A intolerância religiosa praticada contra Regelina e sua fé foi mais além. Segundo a Mãe de  Santo, o homem ainda a teria ameaçado de morte, dizendo ela estaria “fazendo macumba” contra o mesmo. Regelina foi perseguida pelo autor das ameaças e se trancou em casa para evitar ser agredida a foiçadas.


Antes do acontecido, o homem já havia estado na casa de Regelina ameaçando-a, mas ela não acreditou que ele fosse fazer algo, por isso não havia, anteriormente, feito ocorrência policial contra ele. Porém, no último dia 28 de agosto, as ameaças se concretizaram. Com muita fúria, o homem de 61 anos, invadiu a casa e o centro de Regelina, destruindo tudo o que tinha relação com a prática da umbanda: plantas, objetos sacros e imagens religiosas. Tudo se perdeu. Foi um grande prejuízo, tanto do ponto de vista material quanto espiritual.

Os policiais que atenderam ao chamado de ocorrência também foram até a residência do autor, morador no mesmo local. Ele reafirmou que a Mãe de Santo estava fazendo “trabalho de macumba” em seu centro contra ele. Policiais também fizeram contato com a filha do autor, que informou que seu pai "vem sofrendo com problemas psicológicos e tem feito uso constante de medicamentos controlados". Apesar da filha de ter informado e apresentado aos policiais alguns medicamentos usados pelo autor, não foi apresentado nenhum laudo médico ou judicial mostrando a sua incapacidade mental.

Foi dada a voz de prisão ao autor em flagrante delito. A foice utizada no crime de intolerância religiosa foi apreendida. O idoso assinou um termo circunstancial e foi liberado.

Vale lembrar que no Brasil existe a data de 21 de janeiro que marca o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. No Código Penal – Decreto Lei nº 2.848/90 – em seu artigo 208,  é enquadrada como crime a Intolerância Religiosa. Se comprovado o ato, a pena de detenção é de um mês a um ano, ou multa.


 

 

Informações adicionais

  • Cidade:Além Paraíba - MG