Quinta, 28 Janeiro 2021 20:54

População protesta e leilão de veículos é encerrado

Escrito por
População protesta e leilão de veículos é encerrado


O prefeito Miguelzinho autorizou o leilão.



Na manhã desta quinta-feira, 28 de janeiro, uma notícia causou grande revolta e repercussão nas redes sociais, por conta de um Leilão de Veículos que aconteceu, durante toda a manhã, na Quadra Esportiva Antônio Brandão, em Vila Caxias. 

O Leilão de Veículos ( todos retidos pela polícia de Além Paraíba no decorrer dos últimos anos) foi promovido pelo Departamento de Trânsito de Minas Gerais (DETRAN/MG), e estava previamente  marcado, sendo amplamente divulgado, para acontecer na data de hoje, 28 de janeiro. Mas vale lembrar que o município de Além Paraíba está em decreto de "lockdown" pois  o Hospital São Salvador, o único hospital para atender os além-paraibanos e pacientes da região,  encontra-se em colapso pela grande ocupação de leitos e UTI devido à internação de pacientes confirmados e suspeitos (alguns em estado gravíssimo) de estarem com a Covid-19, doença que parou o mundo desde o início de 2020.

 

A realização de um leilão, com a aglomeração de dezenas de pessoas (comprovada por fotos e vídeos na internet), causou desaprovação na população de Além Paraíba, especialmente nos comerciantes que tiveram seus estabelecimentos fechados pelo decreto emitido pelo prefeito Miguel Belmiro de Souza Júnior, o Miguelzinho.




Através das redes sociais e grupos de mensagens, a revolta foi compartilhada. O prefeito Miguel Belmiro de Souza Júnior, bem como sua irmã, Bethânia Reis, que recentemente foi reconduzida ao cargo de Secretária Municipal de Saúde foram os principais alvos, sendo taxados de insensíveis e irresponsáveis. Não se falou de outra coisa no decorrer da manhã, enquanto o leilão transcorria (durou cerca de três horas até ser interrompido) apesar dos milhares de protestos.


A Secretária Municipal de Saúde, Bethânia Reis, foi pessoalmente à quadra de Vila Caxias e suspendeu a realização do leilão.

Uma microempresária de Vila Caxias, proprietária de um bar na praça do bairro, no auge do desespero por ver seu comércio fechado por um decreto, resolveu fazer uma manifestação solitária de protesto contra a aglomeração, da qual a Prefeitura tinha conhecimento prévio e deu a autorização para a realização. O nome da comerciante é Ednéa Rabelo. Munida de um tabuleiro à mão, ela foi até a quadra, onde se realizava o leilão e começou a "bater panela". O protesto solitário provocou uma reação ríspida e até brutal por parte de policiais civis que se encontravam no local para garantir o evento do Detran, já que o Delegado de Polícia Dr. Marcos Vignolo é o responsável pela comissão de leilão na cidade. Edneia foi retirada do local sendo literalmente arrastada pelos dois braços por dois homens, mesmo tentando se desvencilhar. A ação foi filmada de vários ângulos por populares que estavam na Praça de Vila Caxias. Ninguém impediu a ação contra a mulher. Nem mesmo o ex-vereador Gérson Pinto Barreto da Silva, que é o atual Secretário Municipal de Desenvolvimento e que estava presente ao local, aparentemente representando a Polícia Civil, da qual também faz parte. 

Um dos policiais envolvidos informou a redação do Jornal AGORA que não houve brutalidade. Ainda nos relatou que a comerciante pediu desculpas a eles posteriormente.


Com a grande repercussão negativa pela realização do evento, tendo sido muito cobrada a esse respeito, a Secretária Municipal de Saúde, Bethânia Reis de Souza, resolveu intervir e esteve presencialmente ao local,  comunicando aos realizadores que o mesmo não poderia prosseguir devido ao caos que a cidade enfrenta neste atual estágio da pandemia do novo coronavírus. Ela pediu que o Leilão de Veículos fosse interrompido-- já que o evento teria prosseguimento também na parte da tarde, com os lances financeiros sobre os veículos apreendidos pela polícia no pátio local credenciado pelo DETRAN/MG.

A atuação da Secretária Bethânia foi muito elogiada por algumas pessoas, porém criticada por muitas outras. A Prefeitura sabia anteriormente da realização do leilão. "Por que deixou acontecer?"- foi a pergunta que mais se fez nas redes sociais.
 

A PMAP publicou uma nota explicativa alegando que, ao ser fiscalizado pela autoridade sanitária, o evento não seguia as normas de segurança e distanciamento social previstas nos decretos de combate à pandemia. 

Jornal AGORA fez contato com a Delegacia de Policia de Além Paraíba e uma fonte ligada à polícia civil informou à nossa reportagem que, se houver algum comunicado oficial sobre o acontecido de hoje, ele será feito pelo Delegado Marcos Vignolo.

 

Informações adicionais

  • Cidade:Além Paraíba - MG